A estranha vontade de Lair

Anúncios

Phoebe, simplesmente

Os exercícios de Mark Taylor

Trovão e Letícia: fogo e paixão

A alta autoestima de Nadine

O distante e solitário mundo de Adam

A doce ilusão do Sr. Sanders

Os pesadelos em 8 bits de Boris

Emerson e os sonhos recorrentes

Os 2300 ml de Natália

 

As aflições da pequena Cristina

O freezer horizontal da casa de campo de Nicole

As relações de Sabrina

A vitória de Bernard

O bronzeado de Lourenço

O amor de André por sua mãe

A Catatonia de Luma

Um dia, Luma ficou catatônica, no balcão do bar.

As Reuniões de Antony

Antony frequentava as reuniões do Grupo de Apoio aos Usuários de Óculos.

A Cumplicidade entre Norman e Lelé

Norman e Lelé só confiam um no outro.

Os Lutos de Garry

Garry fazia questão de ir a todos os enterros das mulheres que ele assassinava.

As Bonecas de Nabuco

Seu Nabuco sempre preferiu a boneca Susi a Barbie.

O Mau Humor de Gilson

Gilson não transa há 12 anos.

A Morte Besta de Vitória

Vitória se matou a si mesma, comentendo um auto-suicídio.

As Visões de Fernando

Fernando vem tendo visões atormentadoras, onde é atacado por renas ensandecidas.

A Crise de Identidade de Mocongo

Mocongo vive em crise de identidade e faz tratamento psiquiátrico há quase 25 anos. Depois que participou do filme A Montanha dos Gorilas, ele não sabe se é mesmo um gorila ou se é um anão fantasiado.

Os Pensamentos de Moreira

Moreira tinha pensamentos fixos. Quando se movimentavam, apenas davam voltas nos próprios eixos e voltavam a se fixar.

A Inteligência de Faíska

O burrinho Faíska tem baixa inteligência emocional.

A Dupla Personalidade de João Carlos

João Carlos, comerciante, tem outra personalidade: psiquiatra.

Os Desafios Intelectuais de Fabrício

Fabrício se distrai com desafios intelectuais: "se eu tivesse uma dúzia de laranjas e comesse cinco maças, com quntas laranjas..."

Freud From Hell

 

Toni é volcalista da banda Freud From Hell.

 

Diálogos Reais em Bares Sortidos #2: Vou Comprar a Marie Claire pra Você

 

José Carlos e Marli (nomes fictícios), em um bar qualquer de São Paulo, lá pela 1h da manhã, no final de dezembro de 2008.

 

O Complexo de Daniel

 

Daniel se sente tão diminuído, como se todos o vissem sempre pelo lado contrário de um binóculo.